Democracia em Angola

DP World e Transportes abordam gestão do comércio transfronteiriço

A DP World, líder mundial na criação e implementação de soluções de logística inteligentes, e o Governo de Angola assinaram, esta terça-feira (01), em Luanda, um Memorando de Entendimento (MoU), com o objectivo de cooperarem mutuamente para o desenvolvimento do sector logístico angolano e do comércio internacional e transfronteiriço.

O memorando foi assinado pelo director nacional para as Concessões Económicas, Eugénio de Lima Fernandes, e Suhail Al Banna, CEO da DP World para as regiões de África e do Médio Oriente, na presença do ministro dos Transportes, Ricardo Viegas de Abreu e do presidente do Grupo DP World e CEO, Ahmed Bin Sulayem.

Esta assinatura abre caminho para que as partes envolvidas iniciem reuniões oficiais de trabalho com vista à optimização da cooperação em áreas como os portos e os terminais, as zonas económicas especiais, os parques logísticos, a facilitação do comércio transfronteiriço, o financiamento do comércio e serviços marítimos, bem como o apoio logístico noutros sectores de actividade.

Em Angola, a DP World gere as operações do Terminal Multiusos do Porto de Luanda, desde 1 de Março de 2021, data em que venceu o concurso para a exploração e modernização, por um período de 20 anos.

Desde então, a DP World tem investido em novos equipamentos, novas infra-estruturas, em tecnologia e na formação de quadros, no âmbito do plano de investimento aprovado inicialmente avaliado em 190 milhões de dólares, que visa transformar este terminal num dos mais importantes pólos marítimos da costa ocidental da África Austral.

Na ocasião, o ministro dos Transportes de Angola, Ricardo Viegas de Abreu, afirmou que “a DP World é um parceiro estratégico para o sector dos transportes e da logística em Angola, porque reúne o profissionalismo e as competências necessárias para impulsionar a visão de uma economia integrada e sustentável, com uma cadeia logística eficaz e eficiente.Com esta parceria será possível promover e dinamizar o desenvolvimento industrial de Angola, bem como o seu comércio transfronteiriço e internacional”.

Por sua vez, Ahmed Bin Sulayem, presidente do Grupo DP World e também CEO, referiu que “no Terminal Multiusos ainda existem diversas oportunidades de melhoria e de criação de infra-estruturas logísticas e de comércio integradas, que trarão benefícios económicos significativos para o país. Em simultâneo, o Governo angolano tem um plano ambicioso para este sector e, através deste MoU, o nosso principal objectivo é o de encontrarmos formas de apoiar o país a maximizar significativamente a sua localização estratégica para com isso poder aumentar os fluxos comerciais internos e na região da África Austral”.

A DP World Luanda prevê triplicar a eficiência operacional nos primeiros seis meses de 2022, após a implementação completa do plano de desenvolvimento e modernização do Terminal Multiusos. De resto, é de lembrar que o Terminal Multiusos do Porto de Luanda foi o primeiro em Angola a operar dois navios de grande porte em simultâneo e com níveis de produtividade nunca antes atingidos.

Add a Comment

Your email address will not be published.