Democracia em Angola

Inaugurada estrada Funda-Mayé Mayé

A ligação entre a vila da Funda, no município de Cacuaco e o resto da zona Sul da província de Luanda, ficou encurtada em mais de 80 quilómetros, com a inauguração, na última quarta-feira, pela governadora da província de Luanda, Ana Paula de Carvalho, da estrada que liga o bairro Comandante Cowboy, na referida comuna, e o conglomerado habitacional do Mayé Mayé, no Distrito Urbano do Sequele, numa extensão de oito quilómetros.

Com a abertura dessa via, os visitantes que se deslocarem à comuna da Funda deixam de passar pela vila de Cacuaco via EN 100 até ao Kifangondo e desviarem para o destino através da EN110, que vai do Marco Histórico do Kifangondo até à vila de Catete, no município de Icolo e Bengo.

Num pronunciamento curto e conciso, a governadora provincial apelou à população no sentido de tirar proveito daquela obra, na medida em que vai beneficiar os habitantes daquela zona de Cacuaco e não só, com o encurtamento da distância e a facilitação da circulação que, desde aquele dia passou a ser mais rápida e fluida.

O soba José Sotomayor, presente no acto, lembrou que, a estrada foi concebida pelas autoridades coloniais, ainda no princípio da década de 60 do Século passado, mas permaneceu sempre picada, e tinha o objectivo de facilitar a comunicação entre os povos da zona da Funda com os de outras zonas de Luanda, sobretudo no aspecto de trocas comerciais.

A obra de construção e asfaltagem, numa extensão de oito quilómetros e 600 metros, viu a  primeira pedra lançada a 12 de Janeiro do corrente ano pela antiga governadora de Luanda, tendo sido adjudicada à empresa GHCB Angola e tinha um prazo inicial de execução de nove meses (Janeiro a Outubro), mas registou um ligeiro atraso de quase dois meses por razões não especificadas e o seu orçamento ficou em 1.215.255.708,64 kwanzas.

Faz parte de um conjunto de vários projectos concebidos no âmbito do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), para Cacuaco, que totalizava 57 quilómetros, dos quais, 8.6 quilómetros deste troço, 5.8 para o Distrito Urbano do Kicolo e 8.2 quilómetros para os Mulenvos de Baixo. 

 
Populares satisfeitos

O soba José António Sotomayor, na qualidade de autoridade tradicional local expressou um  sentimento de alegria com a abertura da via, agora asfaltada, pois, de acordo com o soba “a partir de agora a população poderá ver reduzido o valor da viagem entre as duas localidades, que antes se fazia de motorizada de duas ou três rodas à razão de 1000 kwanzas numa viagem de ida e volta.

“É motivo de muita alegria a inauguração dessa estrada, na medida em que vai nos facilitar muito na circulação, porque antes fazíamos esse itinerário de motas, pagando 1000 kwanzas numa viagem de ida e volta. Mas houve momentos em que o fizemos a pé por falta de dinheiro. Agora acredito que esse sofrimento acabou”, referiu o soba.

António Ferreira, motoqueiro, que faz trabalho de táxi naquela via, também manifestou a sua alegria com a abertura da estrada porque no passado tinha muitas dificuldades devido às dunas de areia na via, que provocavam muitas quedas de moto, muitas  vezes com clientes na “pendura”.

A camponesa Maria André, que colhe produtos da sua lavra na Funda para vender no Mercado do 30, em Viana, disse ao Jornal de Angola que agora terminou o sofrimento, porque já poderá fazer esse itinerário sem os habituais constrangimentos.

“Agradeço a Deus por me ter dado a possibilidade de ainda assistir a inauguração e quem sabe, o usufruto dessa estrada que há muito chorávamos. Agora já estou em condições de colher os meus produtos da lavra e ir vender com mais facilidade na Praça do 30. Antes era muito sofrimento mesmo. Contudo, tudo que é bom vem sempre acompanhado de algo negativo. E aqui aponto a falta de quebra-molas. Peço às autoridades que coloquem isso pelo menos aqui dentro da vila da Funda”, reconheceu.

Add a Comment

Your email address will not be published.