Democracia em Angola

Mais de dois mil jovens vão beneficiar de estágios profissionais em Luanda

O Instituto Nacional do Emprego e de Formação Profissional (INEFOP) e a Associação Comercial das Empresas Chinesas em Angola assinaram, nesta segunda-feira, um protocolo de estágios profissionais para beneficiar dois mil e quinhentos jovens.

A assinatura do protocolo enquadra-se no Plano de Acção de Empregabilidade (PAPE) aprovado pelo Presidente da República, João Lourenço, em decreto 113/19 de 16 de Abril, tutelado pelo Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social, e prevê formar, em todo o país, 30 mil jovens, contando com um orçamento de 21 mil milhões de Kwanzas para concessão 10 mil micro-créditos e distribuição de 42 mil kits profissionais.

O PAPE visa incentivar a realização de estágios aos recém-formados, com dificuldades em encontrar o primeiro emprego, e contribuir na aquisição de experiência profissional, permitir uma potencial interacção empregado/empregador, contribuir para a inserção dos jovens formados no mercado de trabalho, atrair as micro, pequenas e médias empresas para a bolsa de empresas que acolhem estagiários.

A propósito, o embaixador da República da China em Angola, Gong Tao, disse que o protocolo marca um momento histórico para ambas as partes, por ser uma forma de ajudar os jovens angolanos e no desenvolvimento económico e social angolano.

Para Gong Tao, ao acompanhar a execução da estratégia da diversificação da economia nacional e o progresso do desenvolvimento industrial, as empresas chinesas estão abertas a maiores exigências para formar quadros e especialistas tecnológicos.

Conforme o diplomata chinês, as empresas chinesas em Angola estão prontas a ajudar o país a criar quadros qualificados para responder a demanda.

Já o presidente da Associação das Empresas Chinesa, Guo Sem, esse acordo vai permitir que os jovens recém-formados estagiem em oito empresas chinesas que actuam no mercado angolano entre as quais a CITIC Angola.

“O protocolo mostra o quando as empresas chinesas em Angola estão a trabalhar para o desenvolvimento do país e está atento ao programa de empregabilidade do governo angolano”, disse.

O também director geral da CITIC disse que os jovens vão estagiar em oito empresas, nas diversas áreas do saber como tecnologia, construção civil, infra-estrutura, energia e comércio.

Por sua vez, o secretário de Estado do Trabalho e Segurança Social, Pedro Filipe, disse que as expectativas são altas e espera-se que esses estágios impactem de facto na vida dos jovens estagiários.

“Temos a certeza que a experiência das empresas chinesas que estão aqui representadas vão abrir uma janela de oportunidades para os jovens não só para aprimorarem os seus conhecimentos técnicos, mas sobretudo uma grande oportunidade de alguns ingressarem nas referidas empresas”, disse.

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *