Democracia em Angola

Okavango pode ser área turística de referência

O Executivo angolano quer transformar a região de Okavango numa área de conservação por excelência e um destino turístico de referência mundial, afirmou, ontem, o presidente do Conselho de Administração da Agência Nacional para Gestão da Região do Okavango (ANAGERO), Rui Lisboa.

Falando na cerimónia de assinatura do memorando de entendimento entre a Anagero e a organização não-governamental norte-americana The Nature Conservation (TNC), reconheceu que ainda se está distante para alcançar esta meta.

Referiu que a iniciativa visa a implementação de projectos de conservação do património natural do Okavango e das comunidades locais, acrescentando que está a ser coordenado pela Anagero, que tem a responsabilidade de coordenar as actividades das ONG que actuam na região, para que estejam alinhadas à visão do Executivo angolano, na conservação e desenvolvimento, de modo a assegurar que os recursos mobilizados no exterior do país sejam integralmente aplicados.

Rui Lisboa realçou as potencialidades ambientais do país, considerando que o Okavango representa a principal fonte de água que alimenta as principais bacias hidroeléctricas da África Austral. Por isso, sublinhou, constitui-se no maior santuário da vida selvagem, onde pontificam as espécies emblemáticas da fauna mundial, que mais atraem os turistas. “É também um grande património cultural e histórico do nosso país”, disse.

Sobre este projecto, explicou que foi criada uma comissão multissectorial para análise de inventariação de recursos faunísticos na região e, entre outras atribuições, vai ter a missão de identificar as infra-estruturas prioritárias para viabilizar todo o processo de implementação, com apoio de organizações internacionais interessadas em cooperar com o Governo de Angola, na protecção e desenvolvimento sustentável da região, cuja importância ecológica transcende o país.

A Anagero é o órgão do Executivo, criado pelo Decreto Presidencial n°279/19, de 11 de Setembro. Tem como principal objectivo promover, atrair e facilitar investimentos privados que concorram para a gestão integrada da região angolana do Cubango/ Okavango, com vista a utilização racional e o desenvolvimento sustentável, tendo em conta os princípios de protecção e preservação dos valores de ordem social, económica, cultural, científica e ambiental existentes.

Tem como visão desenvolver de forma sustentável o Okavango e melhorar as condições de vida das comunidades, além de proceder ao aproveitamento do potencial turístico e ambiental que a região possui, alicerçado na utilização dos recursos naturais, tendo em conta os princípios de uso racional.

A agência tem a responsabilidade de articular com as instituições nacionais, regionais e locais no sentido de garantir a operacionalização dos investimentos e projectos sustentáveis, e de criar uma plataforma para a coordenação de todas as iniciativas para a protecção e desenvolvimento sustentável da região, mobilizar e garantir a boa utilização de fundos captados.

O âmbito geográfico da Anagero compreende a região angolana da Bacia do Cubango-Okavango que envolve 6 províncias de Angola: Huambo, Bié, Huíla, Cunene, Moxico e Cuando Cubango. A Agência vai promover as potencialidades e oportunidades da região e facilitar a implementação dos investimentos privados, assegurando-se que esses investimentos respeitem as boas práticas do uso sustentável dos recursos disponíveis.

Parceria internacional

Fundada há mais de setenta anos, The Nature Conservancy (TNC) trabalha em mais de setenta países, incluindo nove em África. A TNC construiu um registo forte de ser um parceiro valioso para os Governos, bem como para os sectores público e privado.

Colin Apse, director da TNC, informou que o objectivo desta parceria é trabalhar para melhorar a vida das pessoas e não apenas proteger a natureza. “A TNC é a organização de conservação com os melhores recursos, o que significa que podemos comprometer-nos a trabalhar a longo prazo, com agências governamentais em parceria com o sector privado. Isto significa que podemos avançar com os objectivos de desenvolvimento nacional, bem como com os resultados das empresas. A nossa abordagem fundamental na The Nature Conservation é trabalhar com os outros, em vez de tentar fazer as coisas sozinhas”, disse.

Add a Comment

Your email address will not be published.