Democracia em Angola

Presidente angolano inaugurou sistema de águas para combater seca no sul do país

O Presidente angolano considerou hoje, em Ondjiva, “uma vitória” a inauguração do Sistema de Transferência das Águas do rio Cunene, investimento estatal para combater a seca no sul de Angola de cerca de 117 milhões de euros.

Durante a inauguração do projeto, na localidade de Cafu, João Lourenço ressalvou que este não resolve ainda na totalidade o problema da seca na região sul. “Para mim, este projeto representa uma vitória, embora não possamos ainda considerar que o problema está resolvido. Este projeto é apenas o início de um amplo programa que vai beneficiar as populações vítimas da seca, não só na província do Cunene como também do Namibe e da Huíla”, referiu. O chefe de Estado angolano realçou que o projeto, que vai beneficiar inicialmente 250 mil cidadãos de várias localidades, significa “a vitória sobre o sofrimento das populações”.

O projeto, indicou João Lourenço, vai abranger vários municípios, com prioridade para aqueles que “são mais populosos e os que mais têm sofrido com a seca” no Cunene. “A atenção é no sentido de minimizar o máximo, quanto possível, o sofrimento das populações desta província do Cunene, não importando de que município seja”, frisou.

Para os anos que se seguem, o Presidente angolano perspetivou “uma profunda transformação dos hábitos e sobretudo dos hábitos das populações, que estavam, por razões que são óbvias, viradas sobretudo para a pastorícia”. “A agricultura era incipiente, mas com a abundância da água que passará a existir e com o apoio não apenas do Ministério da Agricultura, como de algumas organizações não-governamentais, vamos começar – aliás já começámos, são as informações que eu tenho – a dar formação às populações locais, aos seus filhos, de como lidar com a terra, para da terra tirarmos alimentos”, sublinhou.

Add a Comment

Your email address will not be published.